6 de ago de 2009

TIPO SANGUÍNEO E ALIMENTOS...

SANGUE TIPO A

Por volta de 38% da população tem esse tipo sangüíneo. Com o início das práticas agrícolas, esse grupo foi um dos primeiros a evoluir por causa do consumo de vegetais. As pessoas pertencentes a esse segmento saem-se melhor como vegetarianos. O aparelho digestivo é sensível, com dificuldades para decompor as proteínas e gorduras de origem animal, pois produzem menos suco gástrico. Essas pessoas são mais sensíveis a doenças do coração, ao câncer e ao diabetes. Alimentos como proteínas de soja, grãos, legumes, comidas frescas, orgânicas, peixes e frutas são muito importantes. O sistema imunológico é tolerante e reage melhor ao estresse com atividades relaxantes.

SANGUE TIPO B

Uma base de 10% da população tem esse tipo de sangue. Ele surgiu quando os seres humanos migraram para o Norte, encontrando terras mais frias e sombrias. A dieta pode ser mais variada, incluindo carne, e é o único tipo de sangue que se dá muito bem com os laticínios. O sistema imunológico das pessoas que tem o tipo B é forte, reage melhor ao estresse, com criatividade. As recomendações gerais de alimentação são: carnes como cordeiro, carneiro, coelho, peru; peixes como bacalhau, salmão, linguado; laticínios como leite magro, iogurte e queijos; cereais, como arroz, aveia, batata e inhame; azeite de oliva e muitas verduras e legumes.

SANGUE TIPO AB

Cerca de 4% da população tem esse tipo de sangue. É uma adaptação moderna que surgiu da mistura do A e do B. Seu aparelho digestivo é sensível. Necessita de alimentos misturados em porções equilibradas. Já o sistema imunológico é excessivamente tolerante, tem reações às mudanças dietéticas e ambientais. No geral, os alimentos recomendados são carnes, peixe, produtos do leite, legumes, cereais, frutas e verduras.

SANGUE TIPO O

Quase 50% da população têm este tipo de sangue. É o grupo mais antigo e é o resultado do cruzamento de várias culturas. Geralmente, estas pessoas precisam comer proteína animal todos os dias. O aparelho digestivo é forte, pois produzem sucos gástricos em abundância, importantes para a digestão da carne. Mas justamente por produzirem maior quantidade desses sucos gástricos, ocorre também a maior incidência de doenças estomacais, como gastrites e úlceras. Não são bem-vindos: aveia, trigo, grãos e derivados do leite. O sistema imunológico é bem ativo e consegue reagir ao estresse com grande atividade física.

Lentiada de notícias dietéticas....

0 comentários: