28 de dez de 2010

Documentary about Big Sugar....

A CIÊNCIA SALVOU A MINHA VIDA...

27 de dez de 2010

Beers...

23 de dez de 2010

ISTO É NATAL?....


22 de dez de 2010

Einstein e o Tempo – Harvey Brown...

18 de dez de 2010

Os ingredientes do seu corpo....

Carbono - 23% - 16 quilos

O que é a vida? O efeito colateral de uma propriedade dos átomos de carbono. Eles se juntam naturalmente em cadeias grandes e complexas. E seu corpo, em última instância, é uma dessas cadeias. Se o DNA fosse uma árvore, o carbono formaria os galhos. E esses galhos vemos na forma de músculos, pele, cabelos...

Cálcio - 1,4% - 1 quilo
Não é só de dentes e ossos que se faz o cálcio no corpo humano. Ok, 99% é. O minério mais abundante do organismo (e das salas de aula, já que giz é cálcio puro) tem outras funções tão importantes quanto: sem ele, o sangue não coagularia e não conseguiríamos mover os músculos.

Fósforo - 0,83% - 580 gramas
No nosso corpo, o fósforo está longe de causar explosões. O que ele faz é armazenar e transportar energia dentro das células (e entre elas). Mesmo assim, só 20% do fósforo do organismo está nas células e no fluido em que elas boiam. Os outros 80% combinam-se com o cálcio para formar ossos e dentes.

Nitrogênio - 2,6% - 2,22 litros
O nitrogênio se junta com carbono para formar o ácido nucleico, coisa que você conhece como DNA, a supermolécula que organiza todos os ingredientes destas páginas na forma de uma estrutura bem especial, capaz de criar cópias de si mesma, se reproduzir. Em outras palavras, uma estrutura viva.

Água - 55% - 38,5 litros
Sem água não há vida porque é boiando na água que as moléculas do corpo se encontram e reagem quimicamente - a transformação de ar em energia via respiração é uma dessas reações. E claro: os 6 litros de sangue correndo aí para transportar nutrientes são 92% água (quase uma Coca-Cola, que é 95%).

Enxofre - 0,2% - 140 Gramas
O enxofre não deve ser subestimado e reduzido a um gás fedorento - pelo menos não quando está no organismo. Aqui ele não aparece na forma gasosa, mas sempre ligado a outros átomos. E compõe proteínas como a insulina, que transporta a glicose do sangue para servir de combustível às células.

Cloro e sódio - 0,27% - 195 Gramas
Juntos, o cloro e o sódio formam o sal aí da foto. Mas no corpo eles trabalham separados. São como válvulas: não deixam faltar nem sobrar água nos tecidos do organismo. O sódio também é uma das peças envolvidas na contração muscular - para isso ele atua com o elemento aqui embaixo.

Potássio - 0,2% - 140 Gramas
Quando o sistema nervoso envia um sinal para que um músculo seja contraído, começa um movimento dentro das células: o potássio sai e o sódio entra. Essa troca da guarda gera o movimento. Por isso, a deficiência (ou o excesso) de potássio pode causar paralisia.

Metais - 0,009% - 6 Gramas
Ferro, zinco, cobre... Você também é feito de metal. O corpo usa 7 deles para funcionar. Ferro é o mais abundante (4,2 g): ele se junta com proteínas para formar nossos glóbulos vermelhos, os veículos que transportam oxigênio pelo corpo. O zinco, 2º mais presente (2 g), entra na receita dos glóbulos brancos, os soldados do sistema imunológico.


*Esse é o peso que o carbono representa em um adulto de 70 quilos. O mesmo vale para as quantidades dos outros elementos.

Veja mais aqui....

17 de dez de 2010

TABELA PERIÓDICA CORRIGIDA PELA PRIMEIRA VEZ...

Mudanças nos pesos atômicos

Pela primeira vez na história, os pesos atômicos de alguns elementos da Tabela Periódica serão alterados.

A nova Tabela Periódica, descrita em um relatório científico que acaba de ser divulgado, irá expressar os pesos atômicos de 10 elementos de uma forma diferente, para refletir com mais precisão como esses elementos são encontrados na natureza.

Os elementos que terão seus pesos atômicos alterados são: hidrogênio, lítio, boro, carbono, nitrogênio, oxigênio, silício, cloro, enxofre e tálio.

"Por mais de 150 anos os estudantes aprenderam a usar os pesos atômicos padrão - um valor único - encontrados na orelha dos livros didáticos de química e na Tabela Periódica dos elementos," comenta o Dr. Michael Wieser, da Universidade de Calgary, no Canadá e membro da IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada).

Contudo, explica ele, conforme a tecnologia foi evoluindo, os cientistas descobriram que aqueles números tão bem decorados não são tão estáticos quanto se acreditava anteriormente.

Ciência, indústria e esportes

As modernas técnicas analíticas conseguem medir o peso atômico de vários elementos com altíssima precisão.

E essas pequenas variações no peso atômico de um elemento são importantes não apenas nas pesquisas científicas, mas também em outras atividades práticas.

Por exemplo, medições precisas da abundância dos isótopos de carbono podem ser usadas para determinar a pureza e a origem de alimentos como a baunilha ou o mel.

Medições dos isótopos de nitrogênio, cloro e outros são utilizadas para a detecção de poluentes em rios e águas subterrâneas.

Nas investigações de doping nos esportes, a testosterona, que melhora o desempenho dos atletas, pode ser identificada no corpo humano porque o peso atômico do carbono na testosterona humana natural é maior do que na testosterona farmacêutica.

Pesos atômicos como intervalos

Os pesos atômicos destes 10 elementos agora serão expressos em intervalos, com limites superiores e inferiores.

Por exemplo, o enxofre é conhecido por ter um peso atômico de 32,065. No entanto, o seu peso atômico real pode estar em qualquer lugar no intervalo entre 32,059 e 32,076, dependendo de onde o elemento é encontrado.

"Em outras palavras, o peso atômico pode ser utilizado para identificar a origem e a história de um determinado elemento na natureza," afirma Wieser.

Elementos com apenas um isótopo estável não apresentam variações em seu peso atômico. Por exemplo, o peso atômico padrão do flúor, alumínio, sódio e ouro são constantes, e seus valores são conhecidos com uma precisão acima de seis casas decimais.

E agora, professor?

"Embora esta mudança ofereça benefícios significativos na compreensão da química, pode-se imaginar o desafio para os professores e estudantes, que terão que escolher um único valor de um intervalo ao fazer cálculos de química," diz a Dra Fabienne Meyers, diretor adjunto do IUPAC.

"Nós esperamos que os químicos e os educadores tomem este desafio como uma oportunidade única para incentivar o interesse dos jovens em química e gerar entusiasmo para o futuro criativo da química," afirma Meyers.

O trabalho que embasou a primeira correção já feita na Tabela Periódica durou de 1985 a 2010. A mudança vai coincidir com o Ano Internacional da Química, que será celebrado em 2011.

Considerada um dos maiores feitos científicos de todos os tempos, a tradicional Tabela Periódica tem sofrido "ataques" de várias frentes de pesquisa, conforme o conhecimento científico avança.

Veja mais aqui...

14 de dez de 2010

Luz, Trevas e o Método Científico....



O filme foi produzido pelo Projeto Ciência e Arte do Instituto de Bioquímica Médica da UFRJ.

11 de dez de 2010

THE LARGEST PRISON ON EARTH...

The Largest Prison on Earth from Fernanda Vareille on Vimeo.

8 de dez de 2010

FRUTAS ROXAS....

Uma ou duas porções já ajudam na correta absorção de ferro pelo organismo

uvas roxas

(Jupiterimages)

Cientistas britânicos desvendaram o poder das frutas roxas. Uma ou duas porções por dia de amoras pretas (blackberry), ameixas, uvas e mirtilos (blueberry) podem ajudar no combate a doenças graves, como problemas cardíacos, Alzheimer, Parkinson e até câncer. A conclusão faz parte de um estudo feito na Universidade de Machester.

Segundo os pesquisadores, a substância polifenol, presente nestas frutas, é que ajuda na absorção correta de ferro pelo organismo. "Nós normalmente pensamos no ferro como algo que é bom para nós. E, na forma correta, ele é. Mas, na forma errada, não, porque ele passa a reagir com substâncias que estão livres no corpo, para gerar outras substâncias nada agradáveis para o organismo", explica Douglas Kell, coordenador da pesquisa.

De acordo com ele, se o ferro entra no organismo sem interagir com o polifenol antes, ele pode se tornar um veneno para as células. E uma grande quantidade de ferro solto no organismo impede a vitamina C, por exemplo, de combater algumas doenças importantes. Outros alimentos, como chá verde, chocolate e curcumina, contêm a mesma substância e também podem ajudar. O estudo foi publicado na revista Archives of Toxicology.

Veja mais aqui....

30 de nov de 2010

NOVA FORMA DE LUZ....

Superfóton revela forma totalmente nova de luz

Físicos da Universidade de Bonn, na Alemanha, criaram uma forma totalmente nova de luz, algo que, até recentemente, era apontado pelos cientistas como sendo algo impossível de realizar.

Embora as implicações da realização ainda não tenham sido totalmente exploradas, a técnica poderá ser utilizada para criar fontes de luz parecidas com o laser que operam na faixa dos raios X - um laser de raios X.

Condensado de Bose-Einstein de fótons

Quem acompanha as pesquisas na fronteira da física, sobretudo na computação quântica, já está acostumado com termos como condensado de Bose-Einstein e átomos artificiais.

Para criar os átomos artificiais, os físicos aglomeram e resfriam átomos de rubídio até próximo do zero absoluto. Ao serem concentrados em número suficiente em um espaço suficientemente pequeno, o aglomerado de átomos passa a se comportar como se fosse um átomo único - uma superpartícula, ou um átomo artificial.

O que os cientistas fizeram agora foi um condensado de Bose-Einstein formado por fótons.

A maioria dos físicos afirmava que fazer um condensado de Bose-Einstein de fótons era impossível porque, ao serem resfriados, os fótons simplesmente desaparecem. Até então, parecia ser impossível concentrar e resfriar a luz ao mesmo tempo.

Mas os cientistas alemães derrubaram mais essa impossibilidade usando dois espelhos para aglomerar os fótons e uma camada de moléculas que "engolem" e "cospem" os fótons para resfriá-los.

Laser de raios X

Este superfóton, ou condensado de Bose-Einstein fotônico, é uma forma completamente nova de luz, que tem características que lembram o laser.

Se parecer com o laser já não fosse o bastante, a nova forma de luz tem uma vantagem decisiva sobre ele: "Atualmente nós não somos capazes de fabricar lasers que gerem luz com comprimento de onda muito pequeno, na faixa do ultravioleta ou dos raios X, por exemplo. Com o condensado de Bose-Einstein fotônico isto poderá ser possível," explica o Dr. Jan Klars, um dos autores do experimento.

Isto é particularmente interessante para os fabricantes de chips, que usam laser para gravar os circuitos lógicos nas pastilhas de semicondutores. A miniaturização desses circuitos esbarra justamente no comprimento de onda da luz do laser - comprimentos de onda maiores são menos adequados para um trabalho mais preciso do que os comprimentos de onda menores.

Em princípio, os lasers de raios X permitirão desenhar componentes menores e mais precisos na mesma pastilha de silício, uma vez que os raios X têm um comprimento de onda muito menor do que a dos lasers hoje utilizados.

Há poucas semanas, usando a aniquilação de matéria e antimatéria, cientistas deram os primeiros passos rumos à criação de um laser de raios gama, outro tipo de laser futurístico.

Superfóton revela forma totalmente nova de luz
Esquema do experimento onde foi criado o superfóton. [Imagem: Klaers et al./Nature]

Esfriar a luz?

Concentrar os fótons em um pequeno espaço pode parecer fácil de entender. Mas esfriá-los já não parece tão intuitivo.

Imagine uma lâmpada incandescente. Conforme seu filamento vai se aquecendo, ele começa a brilhar: primeiro fica vermelho, depois amarelo e, finalmente, azul.

Desta forma, cada cor de luz pode ser associada a uma "temperatura de formação", aquela temperatura que causa sua emissão - assim, a luz azul é mais quente do que a luz vermelha.

Mas cada elemento brilha de forma diferente. O ferro, por exemplo, vai emitir luz de forma diferente do tungstênio de que é feito o filamento da lâmpada incandescente.

É por isto que os físicos calibram a temperatura da cor com base em um objeto teórico, chamado de corpo negro. Se um corpo negro for aquecido a uma temperatura de 5.500 graus centígrados, ele terá praticamente a mesma cor da luz do Sol ao meio-dia - a temperatura dos seus fótons sobe.

À medida que o corpo negro é resfriado, em um determinado ponto ele pára de irradiar luz na faixa visível, passando a emitir fótons infravermelhos, que são invisíveis ao olho humano.

Ao mesmo tempo, a intensidade de sua radiação cai - a temperatura dos seus fótons diminui - e o número de fótons se torna cada vez menor, conforme a temperatura cai. É isto que torna tão difícil obter a quantidade necessária de fótons frios necessários para fazer o condensado de Bose-Einstein.

Superfóton

Os cientistas alemães resolveram o desafio usando dois espelhos quase perfeitos, altamente reflexivos, onde um feixe de luz foi posto para ficar refletindo de um lado para o outro.

Entre os dois espelhos eles colocaram uma solução contendo moléculas de pigmentos, com as quais os fótons colidiam periodicamente.

Nessas colisões, as moléculas "engoliam" os fótons e depois os "cuspiam" de volta.

"Durante este processo, os fótons assumem a temperatura do fluido. Eles resfriam um ao outro a partir da temperatura ambiente, e fazem isto sem se perderem no processo," explica o professor Martin Weitz, outro membro da equipe.

Os físicos aumentaram a quantidade de fótons entre os dois espelhos usando um laser para excitar a solução com os pigmentos. Isto permitiu que eles concentrassem as partículas de luz resfriadas tão fortemente que elas se condensaram em um superfóton.

Veja mais aqui...

REVERTER O ENVELHECIMENTO....

Retardar ou até mesmo reverter o envelhecimento pode não estar tão longe do alcance humano. Pesquisadores do Instituto de Câncer Dana-Farber e da Universidade de Harvard, em Massachusetts, conseguiram rejuvenescer com sucesso ratos de laboratório, reportou a última edição da revista Nature. A descoberta abre a possibilidade de desacelerar também o envelhecimento humano e tratar pessoas com envelhecimento precoce. Mas há quem se oponha ao tratamento, como alguns pesquisadores americanos que alegam que o método pode alimentar o crescimento de tumores.

O feito foi possível graças ao controle de uma enzima chamada telomerase. Os ratos usados na experiência eram incapazes de produzir a enzima e, por isso, envelheciam mais rapidamente. Mas bastou reativar a produção de telomerase para que os roedores voltassem à juventude. “Isso nos faz pensar sobre a telomerase como um sério agente antienvelhecimento”, diz Ronald DePinho, geneticista líder do estudo.

Para entender o experimento, é preciso compreender também o processo de envelhecimento. Cada célula do corpo humano tem uma “capa protetora” de seus cromossomos, os telômeros. Cada vez que essas células se dividem para se multiplicar, esses telômeros vão encurtando. Até que um dia, eles ficam tão curtos que tudo que resta às células é morrer. O que os pesquisadores fizeram nessa pesquisa – e esperam fazer com as células humanas – foi fortalecer os telômeros, para que o período de multiplicação das células aumentasse.

Os ratos criados pela equipe de DePinho foram projetados geneticamente para ter uma telomerase inativa, mas que poderia ser religada na presença de uma substância chamada 4-OHT. Eles envelheceram muito rápido, desenvolvendo doenças típicas de idades avançadas, como a osteoporose, e tinham uma fertilidade quase nula. Depois de chegarem à idade adulta, foram alimentados com 4-OHT por um mês.

"O que realmente nos pegou de surpresa foi a dramática reversão dos efeitos que vimos nesses animais", disse DePinho à revista Scientific American. Os testículos dos ratos cresceram novamente e os animais recuperaram a fertilidade. Outros órgãos, como o baço, fígado e intestino, recuperaram-se de seu estado degenerado. Até o cérebro dos animais teve uma melhora de performance. "Isso nos dá a sensação de que há um ponto de retorno não só para o envelhecimento, mas para desordens associadas à idade", disse DePinho.

Alguns cientistas, porém, defendem que aumentar a quantidade de telomerase no corpo humano é uma manobra perigosa. Para eles, a enzima poderia provocar a proliferação de tumores, uma vez que sofre mutações facilmente no corpo humano. "O rejuvenescimento do telômero é potencialmente muito perigoso, a menos que você se certifique de que ele não estimula o câncer", diz David Harrison, que pesquisa o envelhecimento no Laboratório Jackson, em Bar Harbor. O especialista afirma ainda que o estudo comandado por DePinho "não estuda o envelhecimento normal, mas o envelhecimento em ratos feitos grosseiramente anormais".

DePinho e seus colegas reconheceram que existem muitos outros fatores que influenciam o envelhecimento além da telomerase, mas defendem que esse pode ser um de muitos tratamentos combinados para retardar o envelhecimento. Para eles, a telomerase poderia ainda inibir o crescimento de tumores, uma vez que estimularia a replicação de células saudáveis.

Veja mais aqui

24 de nov de 2010

85% DE MATÉRIA....



Crónica publicada no "O Despertar"

A maior parte do Universo cósmico que conhecemos, ou melhor, que mal conhecemos, não é visível!

85% da matéria que se calcula existir no Universo não se comporta como o Sol, por exemplo, irradiando radiações electromagnéticas. Essa matéria tem composição desconhecida. Pressupõe-se, hipoteticamente, que seja constituída por partículas fundamentais que, por ora, são virtuais, sendo principais candidatos as WIMP (partículas massivas que interagem fracamente) e as MACHO (objecto com halo compacto e grande massa) e, eventualmente, o Bosão de Higgs.

Refira-se que a matéria negra do Universo também não reflecte qualquer tipo de radiação electromagnética: nem na zona do espectro visível, nem ondas de rádio, nem microondas. Nada. Só sabemos que existe pela sua acção gravitacional sobre a restante matéria, estrelas e outros astros e aglomerados deles, em que nos incluímos.

Experiências recentemente efectuadas no Grande Acelerador de Hadrões do CERN, o maior acelerador de partículas do mundo, e comentadas pelo físico teórico Gianfranco Bertone (ver aqui o seu livro sobre as partículas da matéria negra) no último número da prestigiada revista Nature (aqui), indicam que estamos na antecâmara da descoberta sobre a constituição desta matéria negra. Na esquina de uma próxima colisão de partículas, poderá estar o nascimento de uma renovada compreensão do Universo, ruptura e emergência de novos paradigmas, comprovação e eliminação das inúmeras hipóteses e teorias que hoje gravitam no humano pensamento.

Vivemos hoje, nesta era das tecnologias da informação, esta sensação de estarmos sentados na plateia do mundo, expectantes, a observar, quase em directo, o resultado de experiências que podem mudar o entendimento da matéria e da energia que somos feitos. Vivemos, nesta era feita de ciência e tecnologia, um momento único de argúcia cósmica e sub-atómica, numa amálgama de rigor, de espanto e de emoção.

É também esta a nossa humanidade.

António Piedade
Veja mais aqui...

20 de nov de 2010

SÓDIO NOS ALIMENTOS....

A quantidade de sódio encontrado na batata palha pode variar em até 14 vezes de marca para marca. Já nos salgadinhos de milho, essa diferença chega a 12,5. É o que revela estudo apresentado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), nesta quinta-feira (18), em Brasília. O estudo verificou a quantidade de sódio, gordura saturada, gordura trans e açúcares em mais de 20 categorias de alimentos industrializados.

O macarrão instantâneo com tempero também chamou atenção pela grande quantidade de sódio encontrada. "Em algumas amostras ficou constatado que, ao comer uma única porção desse alimento, a pessoa está ingerindo 167% do sódio recomendado para ser consumido durante todo dia", explica a diretora da Anvisa Maria Cecília Brito. Quando analisados isoladamente, o macarrão instantâneo e os seus temperos, além da grande quantidade de sódio, apresentam uma grande oscilação desses teores de marca para marca. A variação chega a 7,5 vezes na quantidade de sódio nos macarrões instantâneos e a 7,2 nos temperos.

De acordo com Maria Cecília, essa diferença encontrada nas diferentes marcas de alimentos comprova que é possível a indústria produzir alimentos mais saudáveis. “Vamos encaminhar essa pesquisa para o Ministério da Saúde, para que seja pactuado entre governo federal e as indústrias de alimentos uma redução das quantidades de gorduras, açúcar e sal nos alimentos processados”, afirma a diretora da Anvisa.

Bebidas

A pesquisa da Anvisa também mostrou que os níveis de sódio dos refrigerantes de baixa caloria, tanto a base de cola quanto a base de guaraná, apresentam maiores valores de sódio em relação aos refrigerantes comuns. Nos refrigerantes de cola, por exemplo, a média dos teores sódio encontrada foi de 54mg/l, enquanto nos refrigerantes de cola de baixa caloria essa média foi de 97mg/l.

Já nos refrigerantes de guaraná, os valores médios de sódio encontrados no produto convencional e no de baixa caloria foram 81 mg/l e 147 mg/l, respectivamente. "Esses valores mais altos podem ser explicados pelo uso de aditivos, como o ciclamato de sódio, nos produtos de baixa caloria. Entretanto, é preciso considerar que existem limites estabelecidos e que a quantidade utilizada dessas substâncias não representa um risco para a saúde", afirma Maria Cecília.

No caso dos sucos, bebidas com concentração de polpa da fruta entre 30 e 50%, a pesquisa indicou menor quantidade de açúcar nas amostras de suco de manga (9,8g/100ml) e maior no suco de uva (14,5 g/100 ml). Já para os néctares, bebidas com concentração de poupa de fruta entre 20 e 30%, os menores índices de açúcares totais foram encontrados nos sabores de laranja, maçã e pêssego com uma média em torno de 11g/100ml. Já os néctares de uva são os campeões em teores de açúcares totais com índices que chegam à 14g/100ml.

sxc.hu
Batatas: teor de gordura saturada acima da média
Gorduras

Para gorduras saturadas, chama atenção a grande quantidade de marcas com teores superiores à média encontrada na respectiva categoria. No caso das batatas fritas, 17 das 28 marcas analisadas estavam com teores de gordura saturada acima da média. Nas batatas palhas, 55% das marcas analisadas estavam com teores de gorduras saturadas com valores superiores à média desse nutriente para o respectivo produto. Já nos salgadinhos de milho, o maior valor encontrado de gordura saturada (2,6g/25g) foi dez vezes maior que o valor mínimo (0,25g/25g). Nos biscoitos, o que apresentou os maiores teores de gorduras, tanto saturadas quanto trans, foram os de polvilho. "Com essas informações em mãos, que apontam tanto uma variação de nutrientes dentro de uma mesma categoria de alimentos, quanto entre categorias diferentes, fica mais clara a necessidade de o consumidor observar com atenção as tabelas nutricionais nos rótulos dos alimentos e optar por alimentos mais saudáveis", diz a diretora da Anvisa.

Fortificação de farinhas

O estudo da Anvisa também analisou o teor de ferro nas farinhas de trigo e de milho. O objetivo foi verificar se a fortificação obrigatória dessas farinhas com ferro e ácido fólico estava sendo cumprida. De acordo com a Resolução RDC 344/2002 da Agência, a cada 100g de farinhas de trigo e de milho, deve haver no mínimo 4,2 mg de ferro.

Os resultados apontaram que 87% das amostras de farinha, fubá e floco de milho apresentaram teor de ferro inferior ao determinado. Já na farinha de trigo, 54% das amostras apresentaram resultados insatisfatórios.

Mortes

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2001, 60% do total das 56,5 milhões de mortes notificadas no mundo foi resultado de doenças crônicas não transmissíveis. O aumento da pressão arterial no mundo é o principal fator de risco de morte e o segundo de incapacidades por doenças cardíacas, acidente cérebro vascular e insuficiência renal.

No Brasil, dados do IBGE indicam que, em 2009, uma em cada três crianças na faixa de 5 a 9 anos estava com sobrepeso, sendo que a obesidade atingiu 16,6% dos meninos e 11,8% das meninas. Durante o período de 1974 a 2009, a prevalência de sobrepeso em crianças e adolescentes, entre 10 e 19 anos, passou de 3,7% para 21,7% no sexo masculino e de 7,6% para 19,4% no sexo feminino. Nesse mesmo período, o sobrepeso na população adulta masculina passou de 18,5% para 50,1%, enquanto que na feminina foi de 28,7% para
48%.

Veja mais aqui....

18 de nov de 2010

A TROPOSFERA ESTÁ AQUECENDO....

A troposfera - camada mais baixa da atmosfera, onde os eventos climáticos ocorrem, como chuva, neve e furacões - está se aquecendo junto com a superfície da Terra por causa do aumento da emissão dos gases do efeito estufa. A conclusão é de cientistas britânicos e americanos. O estudo foi publicada no periódico Wiley Interdisciplinary Reviews.

troposfera


Há muito tempo simulações do clima feitas pelos cientistas dizem que a troposfera deveria estar se esquentando tão rápido quando a superfície da Terra. Mas desde a década de 1970, medições feitas por balões meteorológicos mostraram que a troposfera possuía uma temperatura constante, não acompanhando o aquecimento da superfície. Por mais que as simulações previssem que a temperatura da troposfera aumentaria junto com a superfície da Terra, na prática, as medições mostravam que não era bem assim — a temperatura era constante.

O estudo publicado analisou 195 artigos científicos, resultados de modelos climáticos e dados atmosféricos reunidos nos últimos 40 anos. A equipe de cientistas da Universidade Estadual de San Jose (EUA) e da Universidade de Reading (Inglaterra) não encontrou nenhuma diferença entre as simulações e o que realmente aconteceu na troposfera - o aquecimento da camada por causa da interferência do homem.

Medir a temperatura da troposfera não é tarefa fácil. Na década de 1950, cientistas enviavam instrumentos de medição em grandes balões que enviavam os dados via rádio para as bases terrestres. De acordo com os autores da pesquisa, essas medições não eram exatas. Na superfície, por outro lado, o registro das temperaturas é melhor por causa da proximidade das bases terrestres com a área de medição. "A discrepância entre os modelos e a medição dos satélites e balões atmosféricos estava relacionada com a forma como essas observações eram feitas", disse Dian Seidel, pesquisadora da agência americana de meteorologia.

De acordo com a pesquisadora, as medições não eram precisas. Os balões atmosféricos sofriam interferência da luz do sol e os resultados de satélites podem ser influenciados pela estratosfera. Os autores da pesquisa concluem que a falta de precisão dessas medições fez com que os cientistas fossem levados a acreditar que o clima na troposfera não estava sendo alterado pelo aquecimento da superfície.

Controvérsia - O estudo é um dos muitos já publicados em 2010 com o intuito de contrapor aqueles que duvidam que o homem exerce algum papel na mudança do clima. O climatologista da USP, Ricardo Felicio, é um dos que não acreditam que a humanidade é capaz de provocar mudanças no clima.

Felicio explicou que os últimos 40 anos não podem servir como base para uma avaliação de mudança do clima. "Se tivessem analisado um tempo maior, teriam visto que o clima não está mudando". O clima, segundo o pesquisador, não é gerido por dezenas de anos, mas milhares. Analisando todo o século 20 e o início do século 21, "a década mais quente foi a de 1930, muito antes do vigor industrial que temos hoje", afirmou Felicio.

Veja mais aqui...

11 de nov de 2010

BOLHAS GIGANTES INTRIGAM ASTRÔNOMOS...

Há algo ocorrendo no centro da galáxia, e os astrônomos não sabem ainda dizer o que é.

O telescópio de raios gama Fermi, da Nasa (agência espacial norte-americana), revelou uma estrutura até então desconhecida bem no centro da Via Láctea.

As duas bolhas com limites bem definidos e emissoras de raios gama se estendem por 25 mil anos-luz para o norte e para o sul do centro galático e reúnem uma energia equivalente a cem mil explosões de supernovas.

As origens das bolhas ainda são um mistério para os cientistas. "Não entendemos completamente sua natureza ou origem", disse astrônomo Doug Finkbeiner, do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian Center em Cambridge (EUA).

Imagina-se que possam ser remanescentes de uma erupção de um buraco negro ou que são alimentadas por uma sucessão de nascimentos e mortes de estrelas no interior da galáxia.

O estudo será publicado no "The Astrophysical Journal".




FONTE: Folha.com

10 de nov de 2010

CHINA: PROFESSOR VIRA ESCRAVO....

6 de nov de 2010

A IMENSIDÃO DA VIDA...

5 de nov de 2010

REVELATION...

Waiting for Armageddon from Ritchy_Niburu_2 on Vimeo.

29 de out de 2010

THE WORLD IN CRISIS....

Mike Bara - The World in Crisis from Ritchy_Niburu_2 on Vimeo.

26 de out de 2010

O livro 'Extreme Insects'....


O livro 'Extreme Insects', de Richard Jones, traz dados e fotos de 150 das mais engenhosas criaturas da natureza. Entre elas, está a lagarta da mariposa 'Stauropus fagi', que parece uma lagosta e é considerada o inseto mais feio do mundo. Foto: NPL

Veja mais aqui...

19 de out de 2010

SOBRE A EDUCAÇÃO MODERNA...









Veja mais aqui...

17 de out de 2010

The Day Before Disclosure....

The Day Before Disclosure from Ritchy_Niburu_2 on Vimeo.

16 de out de 2010

NANOTUBOS E VIDA PRIMITIVA....

Nanotubos de carbono aparentemente traçados em rochas sul-africanas por micróbios têm pelo menos 3,3 bilhões de anos, confirmam cientistas. Uma nova análise do material que preenche as estruturas mostra que elas surgiram pouco depois que a rocha vulcânica espalhou-se no fundo do mar.
Os tubos representam a mais nova pista contendo evidência de vida na Terra. O estudo foi publicado no jornal científico Earth and Planetary Science Letters.
Trata-se de um estudo de acompanhamento da descoberta feita por uma equipe da Universidade de Bergen sobre túneis e cavidades microscópicas publicadas em 2004. As estruturas são encontradas em rochas do famoso Barberton Greenstone Belt (cinturão de rochas verdes) na Província de Mpumalanga, na África do Sul.
Originalmente, essas rochas entraram em erupção embaixo d'água, mas durante o curso da história da Terra foram trazidas à superfície. O basalto que forma a rocha tinha sido datado anteriormente com 3,47 e 3,45 bilhões de anos, mas restavam dúvidas ainda sobre quando os nanotubos se formaram.
Comparando a média de diferentes isótopos de urânio e átomos de carbono do material que agora preenche esses canais, os pesquisadores conseguiram verificar que foram gravados nas rochas há cerca de 3,34 bilhões de anos – em outras palavras, pouco tempo depois que a crosta terrestre se formou.
A discussão sobre quando o primeiro tipo de vida surgiu em nosso planeta é um assunto debatido com entusiasmo. A constante renovação das camadas rochosas faz com que lugares como Barbeton seja um dos poucos registros físicos que ainda podem ser examinados.
Em Barbeton, a pista geoquímica também é sustentada por formas e texturas – os conhecidos vestígios fósseis – na rocha que poderiam ter sido feitas por micróbios primitivos. Não é o mesmo que ter o "corpo" fóssil do organismo, mas pesquisadores podem tornar o fato um grande acontecimento, expondo que as formas possuem uma origem biológica se puderem indicar tubos similares criados por micróbios mais desenvolvidos. E a equipe de Bergen acredita que isso possa acontecer.
"É como se estivéssemos analisando suas 'pegadas' – olhando os buracos, os traços fósseis – deixados por insetos enquanto se dissolviam ou eram mastigados nas rochas", explicou Nicola McLoughlin, do Centro de Geobiologia de Bergen.
"Então, ao invés de olhar o próprio micróbio, você está olhando para a cavidade ou a abertura feita por ele. Ainda estamos tentando convencer as pessoas da biogeneticidade dessas coisas e acho que temos boas mostras no fundo do mar atualmente," disse à BBC News.
"Porém as coisas ficam um pouco mais difíceis no ambiente primitivo, porque as formas são mais simples e a química foi modificada. No entanto, o que este estudo nos mostra é o nosso progresso em conseguir datar essas estruturas."

As rochas de Barberton cujos tubos foram inicialmente identificados encontravam-se na superfície. A Universidade de Bergen analisa agora rochas de escavações subterrâneas. Este tipo de investigação consegue aprofundar o conhecimento sobre como eram as condições na Terra há quase 3,5 bilhões de anos.

Veja mais aqui....

8 de out de 2010

Existe líquido que não molha?...

Existe, sim! Mas isso depende da composição química não só do líquido como também da superfície onde ele é depositado. O mercúrio que corre dentro dos termômetros, por exemplo, não molha o vidro, nem qualquer tipo de papel, mas, se for jogado sobre uma superfície de ouro, a bolinha de mercúrio se desfaz, espalhando-se. O que determina se um líquido molha ou não é uma disputa entre as forças de coesão – que mantêm moléculas e átomos de um mesmo material unidas – e as forças de adesão – determinadas pela atração que as partículas de um material exercem sobre partículas de outros materiais. Ou seja, um líquido molha quando as partículas da superfície geram uma atração maior do que a atração das partículas entre si. E, claro, se a superfície tiver poros, o líquido parece molhar mais, porque suas partículas se depositam nesses orifícios.

SECOS E MOLHADOS
Ligação entre os átomos de mercúrio é seis vezes mais forte do que a das moléculas da água

PÓLO AQUÁTICO
As moléculas de água são polares – têm pólos negativo e positivo – e se aglomeram porque o hidrogênio, que tem carga elétrica positiva, é atraído pelo pólo negativo do oxigênio. Ou seja, o H de uma molécula se liga ao O de outra.

ATRAÇÃO FATAL
Quando encontram o vidro, as moléculas de H2O em contato com a superfície se desfazem, estabelecendo ligações O-H com as moléculas do vidro (SiOH). Por isso, as moléculas de água se espalham e “molham” a superfície.

METAL DA GOTA
O mercúrio é formado por átomos com 80 elétrons e se apresenta na forma líquida – uma exceção entre os metais – porque os elétrons das camadas mais distantes do núcleo não estabelecem uma interação forte o suficiente com os vizinhos para torná-lo sólido.

NÃO ROLA QUÍMICA
Em contato com uma superfície de vidro, os átomos de mercúrio não sentem atração físico-química pelas moléculas de SiOH, preferindo se ligar entre si. Ou seja, a força de coesão é maior do que a de atração. Mas, se a superfície fosse metálica, isso seria diferente...

Esqueci qual foi a fonte.....

6 de out de 2010

Prêmio Nobel de Química....

"Química orgânica" proporcionou a criação de remédios de combate ao câncer e telas de cristal liquido de melhor qualidade

Molécula orgânica

(Photos.com)

Graças à química orgânica o homem pôde imitar a natureza, produzir medicamentos inspirando-se em moléculas encontradas em organismos vivos ou sintetizar novos materiais plásticos, como o polietileno.

Cor das flores, toxinas animais, antibióticos, petróleo, plástico. A química do carbono, na qual se basearam os trabalhos dos três premiados com o Nobel de Química, é também chamada "química orgânica" porque acreditava-se que estivesse reservada aos organismos vivos.

Graças à química orgânica — a de compostos à base de carbono, que são moléculas biológicas ou retiradas de hidrocarbonetos —, o homem pôde imitar a natureza, produzir medicamentos inspirando-se em moléculas encontradas em organismos vivos ou sintetizar novos materiais plásticos, como o polietileno.

Os átomos de carbono podem se associar para criar longas cadeias ou espécies de anéis, que dão uma forma estável a diversas moléculas. Para criar moléculas de arquitetura complexa, o paládio, um metal raro, atua durante o tempo de uma reação química para "convencer" as moléculas de carbono a se associarem segundo o esquema desejado.

É a utilização deste instrumento sofisticado em um processo de catálise que foi recompensado com o Prêmio Nobel de Química, concedido nesta quarta-feira (6) ao americano Richard Heck e aos químicos japoneses Ei-ichi Negishi e Akira Suzuki. Quando dois átomos de carbono associam-se a um mesmo átomo de paládio, sua proximidade os levam a se ligarem diretamente entre si, liberando o átomo de paládio, que poderá contribuir para um novo ciclo de reações químicas.

A formação de ligações carbono-carbono (acoplamento de Suzuki, reação de Heck) é facilitada pela presença do paládio. Esse átomo também é utilizado em catalisadores de carros para acelerar a transformação dos produtos tóxicos saídos da combustão do combustível em compostos menos nocivos: gás carbônico (CO2) e água.

Os processos químicos estabelecidos pelos três premiados possuem inúmeras aplicações: desenvolvimento de antibióticos, medicamentos contra o câncer e telas de cristais líquido. Foi possível sintetizar em escala industrial uma molécula para que tivesse propriedades anticancerosas, como o discodermolide, encontrado em pequenas quantidades na esponja marinha Discodermai dissoluta, que vive a 33 metros de profundidade no Mar do Caribe.

Além disso, medicamentos contra a asma (Singulair), contra o câncer de cólon (diazonamide A), de mama ou de ovário (Taxol) ou contra bactérias resistentes a outros antibióticos puderam ser produzidos, além de um antiinflamatório (Naproxeno). Outras aplicações como os diodos eletroluminescentes orgânicos (OLEDs) são utilizadas na indústria eletrônica.

5 de out de 2010

Premio IgNobel de Física....



Quando trabalhava em Nijmegen, na Holanda, Andre Geim (que é cidadão holandês), um dos Nobel da Física deste ano, efetuou, com a ajuda de poderosos magnetos, trabalhos de levitação vegetal e animal (tomates e sapos). Em cima um filme sobre esse fenômeno. Um artigo, escrito por ele em conjunto com Michael Berry (outro candidato a Nobel, que tem trabalhado no que alguns chamam a "capa da invisibilidade"), valeu aos autores o Premio IgNobel, um premio dado anualmente à ciência mais divertida, que foi recebido em 2000 na Universidade de Harvard. São ambos físicos divertidos...
Veja mais aqui

2 de out de 2010

SOMOS GADO?.....

FORÇA MISTERIOSA?.....

Você lembra da Pioneer 10? Ela é uma sonda espacial que deixou o Sistema Solar em 1983. Pois bem, cientistas perceberam que a sonda está sendo empurrada de volta para o nosso sistema, por alguma força misteriosa.

Inicialmente, os astrônomos pensaram que a sonda estava voltando por causa do impulso que uma sobra de gás nos motores da Pioneer que estivesse escapando causaria. Mas a força é praticamente constante. Outras possibilidades como radiação solar e gravidade também foram descartadas.

A força misteriosa é 10 milhões de vezes mais forte do que a gravidade e os cientistas estão acreditando que possa se tratar de uma “nova força da natureza”, desconhecida até então.

A velocidade da sonda, que é, atualmente, 43 mil quilômetros por hora e parece estar diminuindo 9 quilômetros por hora, mas a cada século.

A Pioneer está fazendo os cientistas questionarem o conhecimento que temos sobre a gravidade e o universo.
Veja mais aqui

28 de set de 2010

Plantas possuem memória e raciocínio - Superinteressante

Quem tem plantas em casa costuma tratá-las com carinho - existe até quem converse com as suas. Não é para tanto. Mas uma experiência feita pela Universidade de Varsóvia constatou que as plantas são mais sofisticadas do que parecem - elas têm formas primitivas de memória, raciocínio e aprendizado. Ou seja, inteligência. Os cientistas poloneses colocaram uma planta da espécie Arabidopsis thaliana (parente da mostarda) num ambiente escuro. Em seguida, um feixe de luz foi projetado sobre uma folha. Os cientistas descobriram que essa folha era capaz de enviar instruções para as demais - que, apesar de não estarem recebendo nenhuma luz, imediatamente começaram a se preparar para isso. As plantas também são capazes de se lembrar, por até 4 dias, quando foi que receberam luz pela última vez - e até a tonalidade exata dessa luz. Os cientistas supõem que as plantas usem essa informação para saber em qual época do ano estão. "Isso poderia ajudá-las a se preparar contra doenças típicas de cada estação", dizem os autores do estudo. A memória e a comunicação das folhas usam um sistema de enzimas, que são armazenadas e transportadas pela planta. É o mesmo princípio que permite que as plantas "conversem". Em 2007, cientistas holandeses descobriram que os indivíduos de uma espécie de trevo, o Trifolium repens, estão interconectados e alertam uns aos outros da presença de lagartas parasitas - ameaça à qual as plantas reagem deixando suas folhas mais duras e menos apetitosas.

Veja mais aqui...

26 de set de 2010

VIDA EM MARTE?

Estudo reavalia indícios de sonda e diz que pode haver vida em Marte

Apesar de animados, os pesquisadores afirmam que é muito cedo para concluir que tenha existido vida em Marte

Sondas Viking exploraram o solo de Marte em 1976

Cientistas mexicanos fizeram um estudo que contesta conclusões sobre a falta de vida em Marte tiradas com base em coletas feitas no planeta por uma sonda da Nasa em 1976.

A noção de que o planeta vermelho seria estéril tinha sido reforçada após a missão da sonda Viking, que coletou e examinou amostras do solo de Marte, sem encontrar evidências da existência de moléculas ricas em carbono ou de vida no planeta.

Mas os cientistas da Universidade Nacional Autônoma do México, da Cidade do México, afirmam que as substâncias que poderiam comprovar a chance de que poderia haver vida no planeta tinham sido destruídas no local da coleta quando a sonda pousou no planeta.

Reavaliação

Os cientistas resolveram reavaliar a questão sobre presença de moléculas orgânicas ricas em carbono em Marte após o envio de outra sonda ao planeta, em 2008.

A sonda Phoenix Mars Lander registrou a presença da substância química perclorato, que contém cloro, na região "ártica" do planeta.

Por causa dessa descoberta, os cientistas resolveram fazer uma experiência para reproduzir as condições do pouso da sonda Viking em Marte com o conhecimento de que haveria perclorato no solo.

A equipe de cientistas foi ao deserto de Atacama, no Chile, onde as circunstâncias seriam similares às de Marte.

Após adicionar perclorato ao solo e aquecê-lo, os cientistas descobriram que os gases produzidos eram dióxido de carbono e traços de clorometano e diclorometano - os mesmos gases liberados por reações químicas após as sondas Viking terem aquecido o solo de Marte mais de três décadas atrás.

Eles também descobriram que as reações químicas destruíram todos os componentes orgânicos no solo.

"Nossos resultados indicam que não apenas (substâncias) orgânicas, mas também perclorato, podem ter estado presentes no solo nos dois locais onde as (sondas) Viking pousaram", diz o autor principal do estudo, Rafael Navarro-González.

Cedo para comemorar

Apesar de animados pela descoberta, os pesquisadores afirmam que é muito cedo para concluir que tenha existido vida em Marte.

"Isso nada diz em relação à questão da existência ou não de vida em Marte, mas pode fazer uma grande diferença em como procuramos evidências para responder a essa pergunta", diz Chris McKay, do Ames Research Center da Nasa, na Califórnia.

McKay explicou que substâncias orgânicas podem vir de fontes biológicas ou não biológicas - muitos meteoritos que caíram na Terra possuem matéria orgânica.

O perclorato, um íon de cloro e oxigênio, pode ter estado presente em Marte por bilhões de anos e ter se manifestado apenas quando aquecido, destruindo todas as substâncias orgânicas presentes no solo.

Quando cientistas examinaram originalmente as informações das sondas Viking, eles interpretaram os compostos orgânicos que continham cloro como contaminantes dos fluidos de limpeza levados na nave.

Ainda não está claro se as moléculas orgânicas são naturais de Marte ou se chegaram ao planeta por meio de meteoritos.

Descobrir isto é um dos objetivos das próximas missões para Marte. A Nasa planeja dar início em 2011 à sua missão Mars Science Laboratory (MSL), com o veículo espacial Curiosity projetado para procurar material orgânico no planeta.

Veja Aqui...

22 de set de 2010

Um saco de água pode espantar moscas?...

Um saco de água pode espantar moscas?

Talvez você já tenha ido a um restaurante e visto sacos contendo água límpida pendurados nas portas ou em áreas externas. Para que será que eles servem? Controlar a temperatura? Economizar dinheiro com a compra de garrafas para água?

Embora qualquer efeito quanto à temperatura seja apenas acidental, os sacos de água têm por objetivo afastar insetos. As pessoas penduram esses sacos do lado de fora de suas casas, empresas e até celeiros para espantar moscas.


Mosca
©iStockphoto.com
Será que os sacos de água realmente nos protegem contra as moscas?

Há diversas variações do saco de água. Alguns dos defensores do método insistem em que os sacos precisam conter raspas de papel-alumínio, ou uma moeda de um centavo. Um par de sites na Web oferece até variações comerciais da ideia, com sacos de água especialmente produzidos para uso como repelente.

As moscas passam muito tempo zumbindo em torno de paraísos de germes como cestos de lixo, carcaças e fezes animais. Depois, carregadas de germes, elas voam em torno do sanduíche que alguém vai comer - é natural querer mantê-las longe. Afinal, elas não são apenas irritantes: são portadoras de doenças.

Mas como o saco de água ajuda? Funciona mesmo? Especialistas e amadores estão divididos quanto à questão. Nas duas próximas páginas estudaremos os dois lados da história.
Veja o resto aqui....