28 de set de 2009

POEMA

Poema de José Gomes Ferreira, escrito entre 1957-1958.

(O estrado, o quadro preto, o giz, o apagador, o ponteiro, o desejo de salta pela janela e voar)

O senhor Professor
aproveitou o ensejo

de não ser ainda cadáver completo
e ergueu-se no estrado,
estátua de si mesmo
a desfazer-se em ossos
e pó de caveira no giz...

Depois com o apagador
limpou os números da ardósia
como quem destrói o céu povoado
- ponteiro da árvore em grito,
raiva de lança.

Menino José Ferreira, venha ao quadro.

(Oh! o tédio da infância!)

In Poeta Militante II, Morais Editores, 1983, página 34.

Lentiada do Rerum Natura...

0 comentários: