13 de jun de 2010

Qual a razão de nossas vidas?.....

Não pode ser tentar ser bom para ganhar um lugar no Céu.

Também não seria aprimoramento para uma nova vida, como crêem os espiritualistas, pois se fosse assim seria mais lógico que o Deus, em quem ele acredita, já o fizesse aprimorado para todo o sempre.

A vida, por mais que possamos desejar como uma tentativa de sobrevivência eterna, não tem finalidade nenhuma a não ser existir apenas como mais um elemento do Universo, “energia pura”.

Viveremos enquanto vivermos e depois será uma energia liberta de um elemento que virará “outra porção de energia”, em qualquer lugar do Universo. Não será diferente quando a fonte emissora da energia do Logos da Terra, que também se transformará, quando se apagar sua chama interna ou vier explodir junto da fonte emissora, que é o centro do Sol.

Assim, poderíamos dizer que existe uma hierarquia cósmica no Universo, desde o menor átomo passando por nós, pela terra, planetas, estrelas até chegar a um centro que seria um Sol Central. É um conjunto de consciências que formam o Universo. As estrelas são filhas do sol central, os planetas das estrelas e o homem do planeta Terra.

Essa hierarquia de uma consciência cósmica transcende a evolução, seja material ou espiritual como querem alguns. Ela é como um andar cósmico da nossa mente que recebe raios cósmicos presentes no Universo.

É muita pretensão humana, o que é uma “ilusão existencial”, acreditar que as “nossas vidas” têm uma finalidade divina. Que divindade seria essa que deixaria tanta injustiça (ilusão de pensamento), pelo prisma do pensamento humano acontecer? Nenhuma divindade - se poderosa, magnânima e criadora de tudo - deixaria “seus ilusórios filhos“ sofrerem .

O Universo e a natureza de todas as coisas não cometem injustiças. O que acreditamos como injustiças é o andar de tudo sobre tudo sem bem ou mal. É a natureza do Universo seguindo suas leis, do que está criando e sempre esteve, porque não existe o passado do nada. Não poderíamos culpar uma estrela que, ao morrer, mata vidas em planetas. Como não podemos culpar uma estrela que nasce de uma explosão cósmica matando outros astros que estão naquela região do Universo. Dessa forma, os tsunamis, os terremotos, as enchentes e a natureza que mata humanos não são maldades divinas.

Tudo sempre esteve e é dentro de nós que tudo está, porque é o centro dos nossos sentidos.

Nós não estamos em um ambiente externo e sim o ambiente está dentro de nós.

São os nossos sentidos que dão à percepção e nos faz julgar que o que vemos, ouvimos, saboreamos, tocamos, cheiramos e que está fora de nós e chega a nós por ondas elétricas. Esse é o “mundo material e ilusório” que está apenas dentro de nós e ele consiste nesses cinco sentidos que temos. É a ilusão de um Universo externo que no fundo existe materializado dentro de nós.

Vemo-nos através de uma progressão que começa com partículas luminosas (fótons) que viajam para dentro dos nossos olhos. Passam pelo cristalino, são refratados e focados na retina, no fundo dos nossos olhos. No fundo dos olhos os raios luminosos são transformados em sinais elétricos transmitidos por neurônios que atingem o centro da visão que fica na parte posterior do cérebro.

A visão ocorre dentro do cérebro, dentro da escuridão do cérebro. Tudo o que vemos faz parte desde mundo escuro apenas dentro de nossos cérebros, que é selado para a luz e está em completa escuridão.

O mesmo ocorre com todos os outros nossos sentidos que chegam ao nosso cérebro como sinais elétricos. Vivemos e convivemos com uma cópia elétrica formada dentro do nosso cérebro que recebe informações elétricas de uma outra matéria de fora do nosso corpo. Podemos então concluir que o que entendemos como Universo são apenas sinais elétricos em nosso cérebro.

Quando vemos uma pessoa falando, ela não está em um mundo exterior e sim dentro de nosso cérebro. As partículas de luz refletidas pela pessoa (fonte de energia transmissora) chegam aos nossos olhos e são transformadas em sinais elétricos. E são transmitidas por neurônios para dentro do centro de visão no nosso cérebro. O ser humano é, então, o resultado da consciência que acumulou sinais elétricos.

Da mesma forma, o som emitido pela pessoa ele está apenas dentro de nosso cérebro. O emissor é uma matéria transmissora de ondas elétricas. Ele é somente energia em uma minúscula partícula de matéria e é isso que também somos.

Espaços, distâncias e tempo também são sensações formadas dentro de nós pelos mesmos sentidos que temos e nos dão as outras sensações.

Ambientes como esse que você se encontra agora, nesse momento, lendo o texto que é um ambiente que está dentro de você. Ele não é exterior, como o seu próprio corpo também não é exterior. Você pensa estar ai nesse ambiente, mas o seu corpo é uma imagem dentro do seu próprio cérebro (partícula de matéria contendo energia).

Não podemos alcançar o mundo exterior, a matéria, pois ele é apenas a sensação recebida pelos nossos sentidos e que está apenas em nossa mente.

Tudo o que vemos, ouvimos, saboreamos, tocamos e cheiramos são apenas idéias que passam a existir em nossa mente. Então, como tudo existe dentro de nossas mentes, somos enganados pelos nossos sentidos e temos a sensação que é exterior.

Imaginar que tudo isso é de um Universo exterior ao nosso cérebro é um grande engano. O que tem fora dele são apenas emissões de ondas elétricas que percebemos e transformamos dentro da mente.

Seria como são os nossos sonhos que parecem ser uma realidade e não são. Você sonha sem sair da cama com vários cenários, com amigos, com pessoas mortas e tem a sensação que é verdade. Você come, dirige um barco, um foguete e sente tudo como se fosse realidade. Você pode até ver você mesmo em um sonho. Quando acorda é que você tem a percepção que estava dormindo e o que diferencia do que denominamos “mundo real” é apenas um produto de nossos preconceitos e hábitos.

E toda a vida da nossa matéria, emissora e receptora de ondas elétricas pode ser um eterno dormir e acordar, como são os nossos sonhos, tudo ilusão.

Enfim podemos ser apenas um minúsculo elemento ou só energia, cujo centro chamamos de cérebro, ou uma partícula distinta de uma mente cósmica em que tudo o mais é ilusão fornecida pelos sentidos que recebem o que chamamos de ondas externas.

O que temos que procurar, se é que conseguiremos, não é frase que temos como título para essa reflexão - "Qual a razão de nossas vidas?" - e sim qual é o propósito do Universo.

Porque nós somos o Universo onde tudo passou, passará e nesse momento passa.

Veja aqui

0 comentários: