16 de jul de 2009

Interdisciplinaridade – entender para melhor aprender...

Para muitos professores, ainda é difícil compreender e trabalhar em um processo interdisciplinar de reconstrução do conhecimento. Trabalhar de forma interdisciplinar é ter um problema a desafiar professor e alunos, na busca de solução participativa.

A idéia de que a prática interdisciplinar parte de um tema gerador de atividades (e não de um problema a ser resolvido) quase sempre leva à transmissão de conteúdos apoiados em um enfoque temático. O saber e o aprender são considerados como resultantes de um processo de construção socializada. Do ponto de vista da interação grupal, a interdisciplinaridade favorece as abordagens pedagógicas que têm estreitas relações com a realidade e esta, por sua vez, requer o entendimento de totalidade.

Para a escola, um conhecimento específico deve ser relacionado diretamente a uma disciplina, porque quase nunca é pensado de forma contextualizada, ligado à realidade sociocultural. Essa redução do conhecimento a um conteúdo programático, muitas vezes, impede a socialização reconstrutiva do saber de forma interdisciplinar.

A interdisciplinaridade deve assegurar uma dependência recíproca entre diferentes saberes, complementares e inter-relacionados no nível do desenvolvimento cognitivo. Quando propõe uma prática interdisciplinar, o professor entende que:

- O processo de investigação precisa ser participativo.

- A investigação e a interação devem conduzir a um saber novo, reconstruído e reinterpretado, ampliando ou modificando o conhecimento real (aquele já adquirido).

- A investigação ocorre na zona do conhecimento proximal (VYGOTSKY) e requer constante ajuda do professor.

- O problema inicial pode ser apresentado tanto pelo professor como pelos alunos.

A prática pedagógica deve buscar relações e inter-relações entre as diversas partes aprendidas da realidade, sabendo-se que a noção de totalidade é sempre provisória, na medida em que se redefine no tempo e no espaço histórico. O conhecimento é sempre inacabado, mesmo quando retotalizado.

A pratica educativa deve ser em si mesma, interdisciplinar, enquanto se realiza nas diferentes formas de manifestações culturais.

REFERÊNCIA:

MENDES, Rosa Emília de Araújo. Interdisciplinaridade – entender para melhor aprender. Revista AMAE Educando. v.36, n. 314. 2003.

0 comentários: